quarta-feira, 15 de junho de 2011

Prefiro não ter emprego que fazer aquilo

Quando me candidatei para a empresa onde fui trabalhar, candidatei-me para "Administrativa". Cheguei lá, puseram-me a fazer telemarketing, sem me explicarem bem porquê, mas prometeram-me grande evolução na carreira, etc etc. Fiquei lá uma semana, a convencer as pessoas que tinham ganho um fim-de-semana e que só tinham de ir lá levantar o prémio, sem perder tempo. Foi isso que me disseram. E era nisso que eu acreditava.
Não gostei de ter estado a trabalhar no feriado de 10 de Junho (nunca me disseram que tinha de trabalhar aos feriados, e não pagavam mais por isso) e no sábado, dia 11, a ligar para as pessoas, a partir de uma lista telefónica e dizer que tinham participado num sorteio pela altura do Natal e tinham ganho um fim-de-semana. Muitas vezes, as pessoas já tinham falecido, e não era bonito. Detestei aquilo, e vi logo que não ia ficar ali muito tempo
Prometeram-nos ainda, todos os dias, que "amanhã assinamos os contratos". Passou-se mais de uma semana, e nada. Resolvi, por isso, pesquisar um bocadinho sobre a empresa, na Internet. Foi aí que descobri que eles burlavam as pessoas e que nós as convencíamos a ir lá, para eles lhes impingirem um cartão de férias, com um crédito de 100€/mês durante 5 anos. E que não se importavam de fazer as coisas mais manhosas para que as pessoas assinassem os contratos, mesmo que depois não os pudessem pagar. Não se importavam de iludir um casal, onde um estava desempregado e o outro trabalhasse na construção civil, só queriam vender e faziam mil e uma coisa para depois não permitirem a rescisão do contrato. Descobri ainda várias queixas de funcionários, a dizer que lá tinham trabalhado dois meses, com promessas de contratos, e nem 1 cêntimo tinham recebido.
Ontem fui trabalhar e não fiz nada nas cinco horas que lá estive. Marcava 8 dígitos em vez de 9, para fingir que estavam todos ocupados ou não estavam atribuídos.Cheguei a casa, conversei com os meus pais e expliquei-lhes a situação; que prefiro ir trabalhar para uma caixa de um supermercado do que estar ali a enganar pessoas. Eles disseram que não sabiam como eu, sabendo tudo isto, ainda fui trabalhar mais um dia. Pode ser o trabalho ideal para muitas pessoas (há pessoas que trabalham lá há mais de cinco anos). Mas para mim não. Por enquanto, ainda tenho a liberdade de escolha, ainda posso dizer "Não" a aldrabices para ganhar dinheiro.

Por isso, ainda ontem, recomecei a procura de emprego. E já tenho mais uma historia "hilariante" para contar.

8 comentários:

S. disse...

mal posso esperar pela próxima! :)
acho que fazes muito bem em recusar um trabalho desse género, isto em tempo de crise anda meio mundo a enganar o outro!

Abby Richter disse...

:s que historia... boa sorte p procura do novo emprego :) licenciaste-te em quê?

suddenly twenty disse...

honestidade a cima de tudo!

Saskia disse...

Abby,

Gestão do Património :)

aryabodhisattva disse...

Trabalhei para um call-center onde a experiência foi algo parecida. Tínhamos de nos focar nas vantagens do serviço e não mencionar os aspetos menos positivos, a não ser que nos fizessem perguntas diretas sobre eles. Era para uma operadora de tlmvs conhecida.
O serviço era uma treta. E não, não era fácil desativá-lo em caso de insatisfação (mas era-nos pedido para assegurar que sim). Basicamente tínhamos de dissimuladamente obrigar uma pessoa a fazer uma subscrição, sob o disfarce de uma promoção.
*flashbacks, náusea, tonturas*
Um dia não fui capaz de pôr lá mais os pés. Não passei da entrada, voltei para trás e regressei a casa.

Não sei o que diga. Desejo-te sorte para encontrar alguma coisa minimamente estável, bem paga, satisfatória.

Wendy disse...

Aconteceu-me o mesmo há uns anos, quando fui trabalhar para uma agência de viagens e fiquei a fazer telefonemas da treta. Quando, um dia, um casal que tinha ido lá na véspera para receber a promoção, telefonou ao meu colega que o tinha contactado e lhe contou que tentaram impingir tudo e mais alguma coisa e nada da viagem prometida, peguei nas minhas coisinhas e pus-me a andar.

Alix disse...

ainda esta semana recebemos aqui em casa um telefonema desse género, que tínhamos ganho um prémio e bla bla bla. toda a gente sabe que ninguém ganha coisas assim do nada!

fizeste muito bem, se todos pensassem como tu havia muito menos vigaristas no mundo!:)

Alix disse...

ainda esta semana recebemos aqui em casa um telefonema desse género, que tínhamos ganho um prémio e bla bla bla. toda a gente sabe que ninguém ganha coisas assim do nada!

fizeste muito bem, se todos pensassem como tu havia muito menos vigaristas no mundo!:)