quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Currículo

Desde que fiz o meu currículo pela primeira vez, já o devo ter refeito umas mil vezes. Tenho sempre imensas dúvidas do tipo de informação que se deve colocar, o número de páginas, se devemos colocar todas as conferências a que fomos, and so on. Por isso, no outro dia, resolvi usufruir de um dos muitos serviços que o Politécnico do Porto oferece aos seus alunos e diplomados e marquei uma hora com a psicóloga responsável pela área do emprego, para que ela me ajudasse a elaborar o meu currículo. Já o refiz segundo as indicações que me deu, mas continuo a achar que está demasiado extenso. Afinal, eu nunca trabalhei, e o meu currículo tem seis páginas. Ela diz para não me preocupar, que deve ser assim, porque uma conferência que eu ache insignificante pode ser importante, já que até posso ser entrevistada por alguém que também tenha estado nessa conferência e, ainda melhor, ter sido orador. Também pensei em fazer uma versão para cada local a que me candidate, mas isso parece-me um bocado excessivo... Acho que o currículo está grande, contudo não inventei nada, é mesmo assim. Mas já li tanta coisa por aí... Como é o vosso currículo? Acham que less is more ou devemos escrever tudo? E com tudo não quero dizer tenho cinco gatos e três cães, entenda-se :)

2 comentários:

Kahkba disse...

O meu ponto de vista é que no que diz respeito à procura de emprego, qualquer informação é importante, como a psicóloga diz. Aquilo tem títulos, por isso os empregadores podem ir diretos ao que querem e ainda podem descobrir dados interessantes, de diferenciação.

Lolita disse...

No inicio convém aproveitar tudo aquilo que possas colocar e depois com o tempo, e com a experiência que adquires seleccionas aquilo que já é mais importante.. Uma professora de português é que me disse isto.. :)