sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Os italianos#2

 
Victory Ford
 Os meus colegas da faculdade não são nada simpáticos. Sempre pensei que os italianos eram uma raça cheia de vida e acolhedora (como nós portuguesas) e vai na volta e não são.
Os meus colegas italianos só falam connosco para responder a alguma questão que lhes tenhamos colocado. Não são capazes de vir fazer connosco, meter conversa. Eu não sei se os portugueses são afáveis demais, mas a verdade é que, ao longo de três anos de curso, tive sempre colegas Erasmus na turma e sempre falei com eles, desde o primeiro dia, assim como os meus outros colegas.
E isto não é impressão minha. Ontem, em conversa com os outros Erasmus gregos, eles queixavam-se do mesmo. Estavam numa turma de cinco pessoas, onde três eram Erasmus e as outras duas raparigas italianas nem com eles falam.

Nunca pensei que fossem assim, é uma desilusão. Mas acredito que estejam por aqui italianos que vão falar connosco, têm de existir!

5 comentários:

Jane Campbell disse...

E existem, conheço pessoas amigas de italianos, que os adoram. Só precisas de os conhecer melhor.
Beijinhos da Jane.
Xoxo Jane Campbell.

Pinkk Candy disse...

POIS, eu nunca encontrei nenhum simpático, mas pode haver.

Já andei num autocarro cheio de italianos durante 15 dias, e nem falaram connosco, nem entre eles, só falavam com a pessoa que ia ao lado deles, e achei-os muito snobs também, bahhh

MAS... deve haver, digo eu, que nunca me cruzei com nenhum diferente x)

XOXO

Miss me disse...

Pois, mas isso só acontece quando estão confortáveis no país deles ou com amigos, porque quando vêm fazer erasmus para cá, sentem a necessidade de ser simpáticos para não andarem por aí sozinhos... Enfim, também não tinha ideia que fossem assim tão snobs!

beijinho*

Anônimo disse...

eu sou italiana, moro em lisboa e gosto dos portugueses, mas podes acreditar que ouvi muitos italianos (e muitos portugueses!) dizer que os portugueses são fechados...... em fim, tudo é relativo.

Saskia disse...

Anónimo,

Tens toda a razão, é relativo. :)